03/04/07

o meu castelo...O Guardião II


o meu castelo lá vive...
...no alto, esplendoroso,
ouvindo os gritos das crianças
(que brincam na praça),
o arrulhar dos pombos,
o burburinho da civilização,
em apitos e chiados de pneus apressados,
gentes de bem aprumadas,
que já não olham para cima nem por nada...

o meu castelo lá vive...
...e espera que um dia as crianças
sejam rapazes e raparigas,
que contam segredos de madrugada,
com uma guitarra enamorada,
olhando a lua,
(como um dia eu fiz...),
pelo castelo encantados...

mas o castelo não é meu...
é nosso, de todos e de quem o quiser,
como a canção das pombinhas
que pela praça deambulam
em busca de uma semente qualquer...

Agora o castelo grita de dor,
de saudade estampada,
murmurando os tempos
em que era amado e louvado,
cantado numa serenata...

resta-lhe o nome na boca de um guia,
(para um turista por ali pasmado)
numa revista ao seu histórico passado...

serve o turismo,
serve a cidade,
em toda a sua dignidade.
mas já pouco serve
como o sonho,

daquele passado encantado.

ficou sozinho, esquecido,
devoluto da evolução
de uma civilização da informação...











foto by johnny


ass. Lestat

1 comentário:

tartaruga disse...

O meu Castelo é mágico!!!
Brilha ao pôr do sol nos fins de tarde de verão e chora com a chuva nos dias frios de inverno... e à noite... à noite, com a lua, vela pelos audazes tolos que ainda sentem que o sonho e a vida se misturam e completam!!!